22 de Abril – ALERGIA É DOENÇA?

Alergia não é doença, mas característica individual 
Filhos de pais alérgicos têm 60% de probabilidade de desenvolver algum tipo de alergia
Cerca de 35% da população brasileira sofre com intolerância a determinadas substâncias
Você sabe como prevenir seu filho de desenvolver alergias? No Brasil, que segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 35% das pessoas sofrem com algum tipo de alergia, evitar o desenvolvimento dessas reações é muito mais eficaz do que tratá-las após o aparecimento.
Estudos e pesquisas nesta área afirmam que filhos de pais com alergias têm maior probabilidade de serem alérgicos. De acordo com a médica Yolanda Schrank, quando um dos pais é alérgico a criança tem de 20 a 30% de chance de desenvolver intolerâncias a determinadas substâncias e, em casos que os dois pais apresentam reações, a possibilidade dos filhos terem alergia sobe para 60%.
“É importante ressaltar que as manifestações alérgicas podem se desenvolver em qualquer fase da vida e até mesmo em indivíduos sem histórico familiar. Basta para isso, que ele seja exposto a determinados alérgenos que ultrapasse o limite de tolerância de seu organismo”, comenta.

Por que alergia não é doença

As alergias não são consideradas doenças, mas sim características individuais. A pessoa alérgica é aquela que reage de forma exagerada a determinado estímulo, considerado normal para outros indivíduos. No Brasil, os tipos mais comuns são as respiratórias, como asma (bronquite alérgica ou bronquite asmática) e rinite, e as cutâneas.
Para evitar alergias, é necessário conhecer a substância que pode desencadeá-la. Para identificar os agentes responsáveis pelas reações alérgicas são necessários testes clínicos de provocação oral (inclusão e exclusão de determinados alimentos na dieta do paciente) e uma série de métodos para avaliação diagnóstica. Entre eles, os testes alérgicos de leitura imediata, chamados intradérmicos, e os de contato, que demoram até 72 horas. Os exames de sangue com dosagens específicas de anticorpos também são bastante utilizados nos diagnósticos das alergias.
Após a detecção dos alérgenos responsáveis pelas reações é hora de iniciar o controle. Quando a alergia é alimentar, basta evitar o consumo do alimento nas refeições. Já quando os sintomas são desencadeados por elementos presente no ar, como poeira e fungos, é preciso tentar diminuir hábitos que colocam o paciente em contato com as substâncias. Para tanto, devem ser adotadas medidas como uso de protetores plásticos de colchões e travesseiros, utilização de pano úmido diariamente na limpeza doméstica, troca de cortinas por persianas, entre outros. “É possível também diminuir gradativamente a sensibilidade por meio da imunoterapia (vacinas específicas), prescrita por um especialista”, completa.
Principais alérgenos (substâncias que acarretam reações alérgicas): pólen; fungos; ácaros; leite; frutos do mar; ovos; determinados insetos possuem alérgenos em seu veneno; determinadas plantas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: