15 de Maio – MINHA CACHORRA QUER SER MAMÃE

Gravidez psicológica em animais: problema comum que tem solução

Ao contrário do que as pessoas pensam, os animais castrados também não estão livres do problema. Veja as dicas que preparamos para lidar com isso
Produção de leite, adoção de objetos e pessoas como se fossem filhotes, aumento do tamanho do ventre. Estes são alguns sintomas claros de gravidez psicológica em animais. Se sua cadelinha ou gatinha apresenta esse comportamento, ela pode estar com gravidez psicológica
Essa ocorre por causa de algumas alterações físicas e comportamentais que uma fêmea apresente após o cio, e que simule uma gravidez. Acontece principalmente em cadelas, gatas e vacas, que produzem hormônios como progesterona e prolactina, como se tivessem acasalado.
Segundo a veterinária e professora da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo (FACIS), Elizabeth Estevão, “Em alguns casos a fêmea se comporta como se estivesse em trabalho de parto, faz ninho e pode até mesmo adotar objetos, outros animais e mesmo pessoas como se fossem seus filhotes”.
A veterinária completa que o período de gestação da doente dura cerca de 2 meses nas gatas e cadelas – como ocorre normalmente – e a lactação(formação, secreção e excreção do leite) pode durar de quinze a quarenta e cinco dias. É comum que fêmeas que apresentem logo no primeiro ciclo, repitam o caso durante a vida inteira, caso não seja tratado.
A causa não é 100% genética, pois existem animais sem histórico familiar que apresentam o quadro, enquanto outros com a genética, nunca desenvolvem.
Elizabeth diz que o distúrbio pode causar outras doenças mais graves. “Existe incidência de tumores de mama, o risco de uma infecção uterina especialmente conhecida como piometra”, e explica que existem maneiras de acabar com essa angústia do animal – e do dono!
Mas ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, não é necessário resolver o problema com a castração: existem outros meios para seu amiguinho parar de sofrer. Como terapias energéticas – acupuntura, homeopatia e florais de bach – que podem acabar com a doença, sem o uso de hormônios ou castração.

2 Respostas to “15 de Maio – MINHA CACHORRA QUER SER MAMÃE”

  1. Safih QUelbert Says:

    Cheguei ate este site devido à uma questão muito peculiar e de suma importância no que se refere esta matéria.
    Acontece que a repórter que a realizou, e que vc fez a transcrição (i-todas) compôs neste artigo uma série de colocações incoerentes e equivocadas.

    Devido à responsabilidade desta repórter à este efeito dominó de falsas concepções no que diz este tema acima, venho aqui informar que houveram, através de mim e Dra. Martha Follain, floralista há 20 anos, alterações no conteúdo. Alterações estas de suma importância.

    A primeira questão é que: houve uma distorção do conteúdo fornecido, referente à pseudociese, a qual não ocorre quando o animal é castrado e a mesma repórter coloca no artigo o inverso, informando incorretamente os leitores;

    2-Quanto à questão dos Florais, Dra. Martha salientou que só a castração resolve, e que os florais colaboram para o alívio dos sintomas uma vez ocorridos, o que ao contrário, a repórter coloca que “ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, não é necessário resolver o problema com a castração: existem outros meios para seu amiguinho parar de sofrer. Como terapias energéticas – acupuntura, homeopatia e florais de bach – que podem acabar com a doença, sem o uso de hormônios ou castração”, fazendo alusão ao uso de florais como solução à uma questão que é de cunho clínico/veterinária, dando margem à falsa informação, inclusive uma incorreta referência ao uso dos Florais que são auxiliares e complementares ao trabalho veterinário, e não uma outra solução à estes e outros problemas clínicos; – Isto já foi alterado! Veja o site novamente.

    E como complementação, quem faz um curso correto de terapias florais, homeopatia (que no caso só pode ser veterinário), e acupuntura, obrigatóriamente estuda todos os distúrbios e prega a castração para eliminar este sintoma.
    Claro, e obviamente, em situações em que a idade do animal seria risco para a cirurgia, os florais amenizam o processo, mas a castração é a indicação necessária.
    A pessoa que ministra estas terapias sem concordar com esta prescrição cirúrgica está completamente fora dos preceitosde bem estar animal, dando um paleativo a uma questão profunda, então, fora do pressuposto do uso dos florais para o bem estar real.
    Os florais podem colaborar para tratar o desequilíbrio emocional como um todo, que leva a pseudociese, e ajudando a aliviar so sintomas, mas se não houver a castração, estes sintomas voltarão.

    Portanto, apesar do site i-todas corrigir o que revogamos, sem sequer colocar uma errata no artigo, evitando assim que pessoas como você possam estar propagando inocentemente falsas informações, eu me senti no direito de te alertar para tal fato, tambem imaginando quantas pessoas, em virtude deste tremendo erro profissional da repórter, possam estar interpretando esta situação/sintoma de uma forma incoerente.

    Caso queira entrar em contato e conhecer tudo o que foi gerado através da postagem deste artigo no i-todas, fico à disposição no email.

    Abçs e avise os seus leitores destas mudanças no conteúdo da matéria que foi postada incorretamente!

    Safih QUelbèrt

  2. Gravidez Psicológica « BullBlog - o blog do seu bulldog Says:

    […] Quer ler mais? Achei interessante este artigo aqui. […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: