16 de Junho – CUIDADOS COM TATUAGENS E PIERCING

Tatuagem e piercing podem transmitir doenças

Já se foi o tempo em que tatuagem significava uma filosofia de vida ou uma demonstração de rebeldia. Hoje, na maioria dos casos, ela é apenas uma opção de estilo: a pessoa adota uma tatuagem com escolhe corte de cabelo.
Os cuidados, porém, são os mesmos de antigamente. O risco de contrair doença sérias ou mesmo enfrentar contratempos é significativo.
“Ao fazer uma tatuagem, a pessoa deve ter certeza do que quer, porque removê-la depois é difícil”, alerta o dermatologista Valter Claudino, do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André (ABC). “Além disso”, ressalta o médico, “há o risco de se contrair doenças”, como hepatite C e Aids.
Por isso, o primeiro passo é escolher um profissional sério, habilitado, que tenha o máximo cuidado com a higiene.
Quanto ao local do corpo, não há nenhuma região mais segura. A cicatrização em mucosas, em geral, é mais fácil e não deixa marcas. Mas o risco de infecções se mantém. Outra dica é escolher regiões do corpo onde haja bastante pele, para que não seja necessário um enxerto caso a pessoa decida retirar a tatuagem.
O tipo de tatuagem conta. Quanto menor e menos colorida, menor é o risco de infecção e mais fácil a remoção.
Um dos riscos é o de reação alérgica à tinta. Isso pode exigir tratamento contínuo. Também pode surgir uma quelóide –espécie de cicatrização irregular que deixa a tatuagem em alto relevo e precisa ser tratada. Para retirar a quelóide pode ser preciso até intervenção cirúrgica.
Remover a tatuagem é complicado. “A pele sempre vai ficar mais clara naquela região porque é removida a epiderme, camada da pele onde estão os melanócitos, que dão cor à pele”, diz Claudino. A pele fica diferente mesmo com bronzeamento.
Os especialistas recomendam que os pais só permitam tatuagem quando os filhos tiverem mais de 18 anos. “É bom conversar para ver se a tatuagem não é uma forma de suprir a necessidade de auto-afirmação. Nesse caso, uma marca na pele não vai resolver”, afirma Claudino.
O piercing é outro adereço cada vez mais comum, especialmente entre jovens, e exige os mesmos cuidados da tatuagem. Muita gente opta por usar essas peças na língua ou até mesmo nos genitais, o que torna a situação ainda mais arriscada, segundo Claudino.
“Quem usa piercing na língua, além de correr maior risco de infectar a boca, pode até fraturar um dente, pelo contato constante com a peça”, afirma o médico.

Anúncios

Uma resposta to “16 de Junho – CUIDADOS COM TATUAGENS E PIERCING”

  1. Leticia Paola Says:

    Tenho um piercing no umbigo faz oito anos,
    quero fazer uma tatuagem no pulso mais não sei se é indicado,
    pode me esclarecer essa dúvida?

    mais gostei muito do seu depoimento, me esclareceu várias dúvidas.
    Beijos.
    Obrigada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: