10 de Julho – TUDO TERMINA EM PIZZA

Tudo termina em…
No Dia da Pizza, conheça sua história

Ela é uma das comidas mais populares do mundo. Sempre presente no cardápio do brasileiro, pode ser vista em festas de aniversário, no fim de partidas de futebol, em jantares românticos entre casais. Não importa o local e a data, o fato é que tudo no Brasil acaba em… pizza! Nada mais justo que tenha um dia especial: 10 de julho é o Dia da Pizza! Afinal, quem não fica com água na boca com aquele aroma indescritível, o queijo derretendo borbulhante pela massa? Para se ter uma idéia, só os paulistanos consomem, diariamente, um milhão de redondas por dia, perdendo apenas para os novaiorquinos. Mamma mia!
Mas você já parou para pensar o que há de tão especial nesse disco de massa que nada mais é do que um pão com queijo e molho de tomate? Talvez a resposta esteja na versatilidade. A pizza combina com inúmeros ingredientes e tem mil e uma combinações. Algumas são até bem inusitadas: pizza de strogonoff, de churrasco e, acreditem, pizza de arroz! Mas, independentemente do sabor, é certo que a redonda é sinônimo de boa companhia, clima de cordialidade e muita alegria. É para ser compartilhada com a família, com os amigos, entre um bate papo e outro.
Um pouco de história
O nascimento da pizza não é muito preciso. Reza a lenda que seis mil anos atrás, os egípcios, hebreus e babilônios já misturavam farinha com água e ervas e a levavam para assar em fornos rústicos. O resultado era o chamado “pão de abraão”, algo bem próximo dos pães árabes atuais. Mas foi na Itália, mais precisamente na região de Nápoles – cidade considerada o berço da pizza – no século XVI, que a iguaria trazida pelos turcos se popularizou e originou a pizza, tal qual a conhecemos hoje, com tomates – trazidos por Cristóvão Colombo para a Europa – e orégano.
No Brasil, a pizza chegou apenas no século XX, trazida pelas mãos de imigrantes italianos residentes, sobretudo na região do Brás, em São Paulo. Talvez seja por essa história que a cidade é conhecida como o local das melhores pizzas do país. Em 1985, o então secretário de turismo de São Pulo, Caio Luís de Carvalho, instituiu o 10 de julho como o Dia da Pizza. A data comemorativa foi escolhida em virtude de um concurso estadual que premiava, na época, as dez melhores receitas de pizzas da cidade.

Curiosidades
O trajeto da pizza até a atualidade é recheado de curiosidades. Ao contrário do que muitas pessoas possam imaginar, ela não nasceu redonda e tampouco surgiu com versões sofisticadas como as que existem hoje. Nos primórdios do seu surgimento, as pizzas eram quadradas e dobradas ao meio, tal qual um sanduíche. A primeira versão redonda da massa foi criada apenas em 1889, pelo chefe de cozinha Rafaelle Esposito. Contam os historiadores que a rainha da Itália Margherita de Sabóia estava preparando uma festa em seu palácio para muitos convidados e pediu ao mestre-cuca que preparasse algo especial e ao mesmo tempo prático. Esposito apostou na cobertura queijo, manjericão e tomate – que formam as cores da bandeira italiana – e foi o maior sucesso. Rafaelle acabou dando o nome da rainha ao prato.
Além disso, as pizzas, assim que começaram a ser produzidas, nem de longe fizeram parte do cardápio das famílias nobres. Elas eram um alimento relegado a pessoas de pouco poder aquisitivo, que só possuíam dinheiro para comprar ingredientes de baixo custo, como toucinho, peixes fritos, lingüiças e alguns queijos mais baratos. Com o passar dos anos e a expansão pelo mundo, as pizzas ganharam coberturas cada vez mais diversificadas e criativas. Pizzas com queijo de cabra, funghi, nozes e até mesmo do caranguejo Santola são versões bem modernas e sofisticadas da iguaria.
Outra curiosidade diz respeito à expressão “acabar em pizza”. Consta que ela surgiu na década de 50, quando os diretores da Sociedade Esportiva Palmeiras, um clube criado pela colônia ítalo-paulista, entraram em uma grande discussão. E, depois, como se nada houvesse ocorrido, foram todos a uma pizzaria no Brás. Muitas fatias de pizza e copos de vinho depois, os envolvidos no impasse acabaram deixando a confusão para trás.

A pizza é nossa
Tamanha foi a expansão da redonda pelo mundo que os italianos começaram a ficar preocupados em perder a “patente” da pizza. Tanto que em 1982, foi fundada a “Associazione Verace Pizza Napoletana” (Associação da Verdadeira Pizza Napolitana), com a missão de resguardar a receita da pizza contra a “miscigenação” cultural que ela sofria em diversas partes do globo. Em 2004, a Associação enviou ao Parlamento Europeu um projeto de lei com regras claras para o preparo da autêntica pizza napolitana. O documento, com oito artigos e seis cláusulas, decretava que a pizza deveria ser redonda, com diâmetro de até 35 centímetros e borda de dois centímetros de altura. Estabelecia ainda que ela deveria ser produzida com farinha, fermento natural ou leveduras de cerveja, água e sal, e trabalhada somente com as mãos – o que abole, de vez, os rolos de massa. Na hora de assar, só seriam permitidos forno à lenha e na temperatura de 485º. Enquanto o projeto continua em tramitação lá na Itália, aqui a ordem é inovar: abra a geladeira, veja o que você possui dentro dela e mãos na massa!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: