Archive for the ‘EDUCAÇÃO’ Category

08 de Setembro – MAIS DISCIPLINAS NAS ESCOLAS

setembro 8, 2008

Projetos da Câmara para inclusão de disciplina deixariam alunos 16 horas na escola

Da Câmara dos Deputados vieram os projetos que obrigaram a inclusão das disciplinas de filosofia, sociologia e música na educação básica. Se fossem aprovadas todas as 50 propostas de novas matérias que tramitam na casa, os alunos do ensino fundamental e médio passariam 16,3 horas na escola por dia.
O período é o triplo do tempo que os estudantes já ficam no colégio diariamente, que é de cinco horas em média. Mais que isso, o tempo que precisariam é ainda quase o dobro da escola integral proposta pelo MEC (Ministério da Educação), que tem jornada de oito horas diária. Mas isso com uma condição: se essas matérias fossem ministradas somente uma vez por semana.
A pergunta é: a Câmara tem competência para escolher o que os estudantes devem ou não estudar? “Nós vemos com muita reserva essa inclusão através do poder central porque a autonomia das redes municipais e estaduais tem que ser respeitada”, diz Maria do Pilar Lacerda, secretária de Educação Básica do MEC.

Deputado quer direito constitucional na escola; conselheiro diz que “é o fim do mundo”
Tramitam na Câmara mais de 50 projetos de inclusão de disciplinas na educação básica. Rio Amazonas, reciclagem, poluição, acidentes ecológicos e os temas atuais que envolvem a natureza refletem não só nos noticiários, mas também nos gabinetes dos parlamentares. Pelo menos oito projetos propõem a introdução da educação ambiental nas escolas.

Aprender a cooperar
Entre as propostas mais curiosas para que os jovens aprendam nas aulas diárias estão as disciplinas específicas de cooperativismo; noções de legislação fiscal e tributária; planejamento financeiro pessoal e familiar; empreendedorismo; direitos da mulher; segurança pública e “qualidade total”.

Algumas ementas sugerem a volta da matéria de ética, moral e cívica, enquanto outras parecem apenas fazer volume na lista ao pedir itens já existentes no currículo –como a inclusão de teorias sobre a origem dos seres vivos na disciplina de biologia.
Nessa mesma linha, seguem os políticos aspirantes a professores na elaboração do conteúdo disciplinar: “inclui a discussão sobre ‘Educação para o Pensar’ pela disciplina de Filosofia” ou “inclui o tema ‘Educação Alimentar’ no conteúdo das disciplinas de ciências e biologia”.
E há parlamentares completamente insatisfeitos com a educação brasileira: estes, mais radicais, pedem reformulação de todo o currículo escolar do ensino básico.

02 de Setembro – CONFIRA O GABARITO DO ENEM 2008

setembro 2, 2008

Confira o gabarito do Enem 

http://www.bonde.com.br/out.php?url=http://gabarito.enem.inep.gov.br/
 
O gabarito do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi divulgado na noite deste domingo (31), no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

A prova foi realizada no domingo em 8.510 locais em todo o país. Este ano, o número de inscritos foi de mais de 4 milhões, um recorde. A participação no exame é voluntária.

O Enem é usado como critério de seleção para concessão de bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) e em processos seletivos de cerca de 500 instituições de ensino superior.

Os estudantes tiveram cinco horas para responder à prova, que teve 63 questões objetivas e uma redação dissertativa. De acordo com o Inep, a previsão é de que os boletins individuais sejam enviados aos candidatos na segunda quinzena de novembro

28 de Agosto – FAZENDO DIREITO

agosto 28, 2008

MEC fecha 54% das vagas nos cursos de Direito 
 
Em números absolutos, o percentual representa menos 24.380 vagas, das 45.042 oferecidas
Por 11 meses, o Ministério da Educação supervisionou 81 cursos de Direito no país. Com base em dois critérios objetivos – o da nota no Exame Nacional de Desempenho Estudantil (Enade) e no percentual de alunos aprovados no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – o resultado foi a redução de 54% das vagas oferecidas nestas instituições.
Em números absolutos, o percentual representa menos 24.380 vagas, das 45.042 oferecidas. A que teve o maior número de vagas reduzidas foi a Universidade Paulista (Unip), com corte de pouco mais de 6 mil das mais de 10 mil ofertadas. Em seguida, o Centro Universitário Nove de Julho, também de São Paulo, com corte de pouco mais da metade das vagas: 2.594, das 5 mil que oferecidas.

No Paraná, quatro universidades aparecem na lista: Faculdade Educacional de Dois Vizinhos, que perdeu 20 das 100 vagas; Universidade Paranaense, com menos seis das 86 vagas oferecidas em Toledo e 113 das 240 no Campus de Umuarama; e Universidade Norte do Paraná, com corte de 240 das 450 vagas em Londrina.
Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, a redução do número de vagas, isoladamente, representa um avanço. Entretanto, de acordo com ele, se o corte não for combinado com outras providências, a repercussão na qualidade é pequena. Ele sinalizou que a avaliação que já vem sendo feita dos cursos de medicina apontam deficiências em instituições públicas de ensino superior – ao contrário do que ocorreu agora, em que só figuraram na lista instituições particulares. O curso de pedagogia deve ser o próximo a passar por supervisão.
Caso as deficiências não sejam equacionadas até julho do ano que vem, “a comissão [de supervisão] terá carta branca do Ministério da Educação para sugerir as medidas cabíveis”, disse o ministro, acrescentando que “a comissão vai voltar [às instituições] para verificar se o compromisso firmado está sendo honrado. Se isso não estiver acontecendo, pode chegar ao descredenciamento do curso”.

Para o presidente da OAB, Cezar Britto, houve uma banalização do curso pelo País, “que tem mais gente fazendo do que qualquer outro”, e a medida vai solucionar o problema do excesso de formados que não conseguem o registro da ordem, e agora a qualidade passa a ser valorizada.

09 de Agosto – LITERATURA – LÍBERO BADARÓ

agosto 9, 2008

Líbero Badaró
Data desconhecida, 1798, Laignelia, Itália
21/11/1830, São Paulo (SP)

Giovanni Battista Líbero Badaró (ou Dr. João Batista Líbero Badaró), jornalista, político e médico, formou-se pelas universidades de Turim e Pávia, na Itália.
Chegou ao Brasil em 1826, aos 28 anos de idade. Estabelecendo-se em São Paulo, filiou-se à corrente liberal que pregava a autonomia para o Brasil e participou de lutas políticas ligadas à independência.
Em 1829 fundou o jornal periódico “Observador Constitucional” onde denunciava os desmandos e excessos cometidos pelos governantes. Já no primeiro dia de circulação, escreveu: “Não devia vegetar no Brasil a planta do despotismo”.

No dia 20 de novembro de 1830, Badaró sofreu um brutal atentado à bala. A primeira pessoa a socorrê-lo foi o estudante de direito Emiliano Fagundes Varela, pai do futuro poeta Fagundes Varela. Suas últimas palavras foram: “Morre um Liberal, mas não morre a Liberdade”. No dia seguinte estava morto.
Um alto funcionário do Judiciário imperial chegou a ser processado como mandante do crime, mas foi absolvido, por falta de provas. Segundo historiadores, a ordem para matar Badaró pode ter partido do próprio imperador dom Pedro 1o.
A contribuição de Líbero Badaró para a defesa da liberdade de expressão vai além da tragédia pessoal. É seu um dos primeiros escritos publicados no Brasil em defesa da liberdade de imprensa, refutando sempre a tese de que os abusos praticados pela imprensa justificariam o cerceamento da liberdade.

Com sua morte, aumentaram o descontentamento e as manifestações de protesto contra o absolutismo de D. Pedro 1o, que abdicou em 7 de abril de 1831.

11 de Julho – SORRIA. VOCÊ FAZ PARTE DA VIDA.

julho 11, 2008

Humor pode melhorar aprendizagem, diz especialista

Madri – O sentido do humor e seus múltiplos benefícios nas relações de idosos, na integração de presos ou no âmbito da educação, são estudados por especialistas internacionais reunidos esta semana em Madri.
Mais de uma centena de pesquisadores do mundo todo participam do XX Congresso da Sociedade Internacional para os Estudos de Humor (ISHS), inaugurado na terça-feira (8) e que será encerrado amanhã (11).

Após a apresentação de diversos trabalhos que destacaram que a estimulação através do riso traz uma série de benefícios para a saúde, agora os analistas tentam aprofundar os conhecimentos sobre como o humor pode melhorar hábitos de aprendizagem.
A professora argentina Mónica Guitart, da Universidade Nacional de Cuyo, explicou hoje à Efe como aplica o humor em sua classes, como espécies de “pílulas motivadoras”.
Guitart, que dá aulas de matemática a futuros engenheiros, indicou que tenta ensinar utilizando brincadeiras ou cenas lúdicas que despertem o interesse ou o debate entre os alunos.
“O grande desafio como docente é que os alunos, ao lembrarem das brincadeiras, evoquem os conceitos matemáticos que estão nelas”, afirmou.
Guitart assegurou que, desta forma, é mais fácil lembrar de conceitos, pois estes “chegam através de emoções positivas, e não só por meio de conhecimentos frios”.
A pesquisadora se referiu também às reservas dos professores à utilização do humor em suas aulas, por medo de que possam perder o controle dos alunos.
No entanto, disse que, quando os mestres se dão conta de que o riso favorece a aprendizagem, “imediatamente começam a aproveitar”.
No fórum, realizado na Universidade de Alcalá de Henares, nas proximidades de Madri, foi realizado também um seminário sobre o temor que algumas pessoas têm do riso.

Além disso, foram apresentados trabalhos sobre como melhorar a convivência e a aprendizagem dos presos com propostas de humor, uma atitude que também favorece as relações sociais dos idosos.

13 de Junho – CHEGA DE PROMESSA. PROFESSORES QUEREM SEUS DIREITOS

junho 13, 2008

Governo promete melhoria salarial aos professores 
 
O governador Roberto Requião (PMDB) prometeu rever o salário dos professores da rede pública de ensino e conceder o “melhor salário do país” para a categoria.
Professores podem entrar em greve no fim do mês
A promessa foi feita após a divulgação do resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2007, em que o Paraná obteve melhor classificação do país nas três fases de ensino: média de 5,0 para as séries iniciais (1ª a 4ª); de 4,2 nas séries finais (5ª a 8ª) do ensino fundamental; e 4,0 no ensino médio. O Ministério da Educação (MEC) recomenda média de 6,0 para as séries iniciais do ensino fundamental em 2021.
Em discurso, Requião prometeu regularizar a situação do professor paranaense “até o final” do seu governo, que se encerra em 2010.
Passado recente
A APP-Sindicato, que representa mais de 120 mil educadores e professores no Paraná, realizou há poucos dias protesto por melhorias. Uma das reivindicações do Sindicato era a recomposição salarial (perdas estimadas em 38%). A categoria, inclusive, ameaçava greve para o final deste mês.
Um dia antes da mobilização, o Secretário de Educação, Maurício Requião, afirmou à imprensa que o governo não tinha condições de atender a reivindicação dos professores.
 

29 de Maio – PAÍS DE POUCA LEITURA

maio 29, 2008

Índice de não-leitores é de 45%, aponta pesquisa
Entre os 172,7 milhões de brasileiros entrevistados pela pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-livro, 45% deles, ou 77 milhões, são identificados como não-leitores, ou seja, não leram nenhum livro nos últimos três meses. Desse público, 47% é mulher e 53%, homem.
Apesar do alto índice, o secretário de educação básica do Ministério da Educação (MEC), André Lázaro, avalia como positivo o resultado da pesquisa. “O copo está razoavelmente cheio, mas a nossa sede é muito maior. A fotografia hoje diz que estamos em um bom caminho, mas essas informações nos estimulam a trabalhar mais”, acredita Lázaro.
O relatório aponta que os classificados como não-leitores estão na base da pirâmide social: 28% deles não é alfabetizado e 35% estudou só até a 4ª série do ensino fundamental. Metade do grupo pertence à classe D e a maioria possui renda familiar de 1 a 2 salários-mínimos. A pesquisa indica ainda que os livros religiosos são os que mais atraem esse público: 4,5 milhões disseram ler a Bíblia.
Entre os motivos para não ler, a falta de tempo aparece como o mais apontado, com 29%. Outros 28% não lêem porque não são alfabetizados e 27% porque não gostam ou não têm interesse. Entre as limitações, 16% afirmaram que possuem um ritmo lento de leitura e outros 7% disseram não compreender a maior parte do que lêem. O relatório ressalta que a leitura aparece em quinto lugar entre as atividades preferidas dos entrevistados, ficando atrás de ver televisão, ouvir música, ouvir rádio e descansar.
As regiões Norte e Nordeste, que apresentam os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do país, também registraram as menores médias de leitura por habitante/ano: 3,9 e 4,2 respectivamente. A média nacional é de 4,7 livros ano/habitante.
Para o presidente do Instituto Pró-livro, Jorge Yunes, o baixo resultado está vinculado aos níveis de escolaridade nessas regiões.
“O incentivo [à leitura] nas escolas é muito importante, o governo tem que trabalhar para que esse índice seja igual no Brasil inteiro. Se a escolaridade aumentar, com certeza a leitura aumenta também”, apontou Yunes.
Amanda Cieglinski

28 de Maio – PROVAS DO ENEM

maio 28, 2008

Novo prazo para inscrições do Enem 2008 vai até dia 13 de junho

O período de inscrição para o Enem 2008 (Exame Nacional do Ensino Médio) foi estendido até o dia 13 de junho. Podem se inscrever estudantes do último ano do ensino médio (concluintes) ou que já tenham concluído essa etapa de ensino em anos anteriores (egressos).
Estudantes terão cinco horas para responder a 63 testes e escrever uma redação
As inscrições podem ser feitas pela Internet ou em agências dos Correios. Os estudantes que optarem por fazer inscrição presencial deverão preencher a ficha –que está disponível em todas as escolas de nível médio do país– e entregar numa agência dos Correios.
Todos os estudantes de escolas públicas e aqueles declarados carentes –egressos ou estudantes de escolas particulares– não pagam a taxa de inscrição, que custa R$ 35. Os alunos de escolas particulares deverão pagar a taxa em qualquer agência bancária antes de entregar a ficha preenchida nos Correios.
Aqueles que optarem por fazer a inscrição pela Internet, preencher a ficha e imprimir o comprovante. Egressos e estudantes de escolas privadas que optarem pela inscrição via rede mundial de computadores não poderão solicitar isenção de taxa.
O participante receberá no endereço indicado no ato da inscrição, até 18 de agosto, o cartão de confirmação que informará o local onde o inscrito fará a prova. Se não receber até essa data, o inscrito deverá procurar uma agência dos Correios ou acessar a página do Inep para consultar a o local onde fará o exame.
As provas serão aplicadas no dia 31 de agosto, em cerca de 1.400 municípios. A expectativa do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais)é a de que, pelo menos, 3 milhões de estudantes de escolas públicas e particulares participem dos testes.
Serão 63 questões objetivas de múltipla escolha sobre diversas áreas de conhecimento, além de uma redação. O estudante terá cinco horas para responder o exame.
O Enem é também requisito para se inscrever no ProUni (Programa Universidade Para Todos), que concede bolsas de estudos em cursos de graduação de instituição particular. Para participar do ProUni, o candidato precisa ter obtido nota mínima de 45 pontos no Enem.

 

17 de Maio – 2ª TARDE LÚDICA EM LOANDA

maio 17, 2008

Os alunos(as) do Magistério do Colégio Estadual Guilherme de Almeida realizaram no dia 15 de maio a 2ª tarde Lúdica, com muita música, brincadeiras, sátiras e show infantil. Foi muito legal. Nós estivemos lá no ano passado e agora também. Gostamos de valorizar os movimentos na área de educação. Parabéns a todos os professores, alunos, colaboradores, secretaria municipal de educação, cultura e esporte de Loanda e Rádio Loanda fm 104,9. Vamos colocar somente algumas fotos no blog as outras estão no site da Rádio Loanda Fm http://www.radioloandafm.com.br e http://www.loandaonline.com.br.

Fotos Emilio Barbosa

08 de Abril – ESCREVENDO MELHORA

abril 8, 2008

Psicólogo ensina como melhorar o ânimo por meio da escrita

 

Em seu livro publicado recentemente no Brasil (“Abra seu coração – O poder de cura através da expressão das emoções”, Ed. Gente), o psicólogo James Pennebaker, professor da Universidade do Texas, afirma que escrever sobre experiências desagradáveis ajuda a melhorar o ânimo, diluir a raiva e até fortalecer o sistema imunológico.

“Escrever sobre questões de forte peso emocional pode reduzir a ansiedade e a depressão”, garante o psicólogo, em entrevista ao UOL Ciência e Saúde.

Pennebaker reuniu uma série de estudos para comprovar sua tese. “Já se descobriu que escrever sobre reviravoltas emocionais melhora a saúde física e mental de crianças do ensino fundamental, enfermeiras, doentes que sofrem de artrite, alunos de escolas de medicina, presos, mães que deram à luz recentemente e vítimas de estupro”, enumera.

Uma das experiências relatadas pelo psicólogo é com clientes de uma agência de recolocação de executivos. Os profissionais que se submeteram a sessões de escrita conseguiram superar o trauma do desemprego e enfrentaram com sucesso novas entrevistas de trabalho, o que não ocorreu com o grupo que não participou da terapia.

Para se beneficiar com a terapia da escrita, segundo ele, não basta simplesmente descrever fatos dolorosos. É preciso cavar os sentimentos mais profundos causados pelo evento traumático. De preferência, algumas semanas ou meses após o ocorrido. “É preciso dar tempo para que a pessoa tenha a chance de refletir sobre o que aconteceu”, explica.

Algumas pessoas podem sentir algum desconforto logo após o término de cada relato, mas essa sensação se dilui com o passar das horas, segundo ele.

Confira outras dicas do psicólogo:

– pratique a escrita pouco antes de dormir, durante cerca de 15 minutos, por pelo menos quatro dias consecutivos;

– escolha um local silencioso e isolado, evitando possíveis interrupções;

– não direcione o texto para alguém, nem se preocupe com estilo ou gramática;

– se não puder escrever, use um gravador.

 

01 de Abril – FINANÇAS E FILHOS

abril 1, 2008

Educadora ensina quanto dar de mesada aos filhos
“Em hipótese alguma o pai deve aumentar a mesada porque o filho tira notas boas. Isso mina a responsabilidade. Também não pode suspender como forma de castigar por malcriações nem vincular à realização de tarefas domésticas”, disse a educadora Cássia D”Aquino.
Pais ricos ou pobres, R$ 1 por ano de vida é quanto o filho precisa para despesas semanais básicas a partir dos seis anos de idade, segundo Aquino. De acordo com a conta, uma criança de seis anos pode aprender a administrar uma semanada de R$ 6, e uma de dez, de R$ 10.
A mesada propriamente só deve chegar aos 11 anos, quando o pré-adolescente começa a se deparar com necessidades maiores de gastos e de economias. Nesse momento, a semanada de R$ 11 deve virar uma mesada, que pode chegar a cerca de R$ 100, o equivalente a ao menos R$ 8 por ano de vida. Ou seja, um adolescente de 13 anos ganharia R$ 104 mensais.

01 de Abril – FALTA QUALIFICAÇÃO

abril 1, 2008

No Brasil, 23% dão aulas de matemática sem diploma
Cerca de 23% dos professores de matemática do ensino médio no país não têm curso superior. Eles completaram apenas o próprio ensino médio – mesmo nível de escolaridade para o qual dão aulas.
Outros 21% são graduados em outras áreas, como processamento de dados e ciências contábeis, ou mesmo letras.
Apenas 20% são formados de fato em Matemática. Nas regiões norte e nordeste o índice de professores sem formação superior é ainda mais alto, chegando a 36,9% e 36,1%, respectivamente. Por lei, todos deveriam ter diploma universitário.
Os problemas no ensino da matemática aparecem em estudantes de todos os níveis e regiões. Na última avaliação internacional Pisa (avaliação internacional de estudantes), cujos resultados foram divulgados no ano passado, os estudantes brasileiros tiveram um dos piores desempenhos na disciplina, ficando na frente apenas dos da Tunísia, Catar e Casaquistão.
O diagnóstico servirá de base para a elaboração de uma rede nacional de formação de professores, uma das metas do ministro da Educação, Fernando Haddad. O objetivo é formular medidas emergenciais para suprir essa necessidade, com foco também nas áreas de física e química, assim como organizar um sistema de graduação que atraia os jovens para a docência.
A Lei de Diretrizes e Bases (LDB) estabeleceu que, a partir de 2007, todos os professores contratados para atuar da 5ª a 8ª séries e no ensino médio deveriam ter licenciatura. Os do ensino infantil e primeiro ciclo do fundamental (1ª a 4ª séries) precisariam ter feito pedagogia ou curso normal superior – meta que ainda está longe de ser cumprida. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

21 de Março – BOA PROPOSTA

março 20, 2008

MEC planeja trocar dívida no Fies por trabalho

Brasília – O governo federal planeja trocar educação superior por trabalho. Uma proposta do MEC (Ministério da Educação) é que médicos e professores formados com crédito do Fies (Financiamento Estudantil) trabalhem no sistema público de saúde e educação em troca da quitação de seus empréstimos.
Segundo a proposta, os médicos deverão trabalhar nos 1,2 mil municípios brasileiros onde ainda não há atendimento. Os professores seriam contratados para preencher o déficit de 250 mil vagas existente hoje no sistema público de ensino básico.
A intenção do MEC é anunciar o programa no dia 29 deste mês, em um evento com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Nova Iguaçu (RJ), e vê-lo entrar em funcionamento a partir dos contratos deste ano.
O efeito prático da proposta só seria visto daqui a quatro anos: apenas novos candidatos ao Fies poderiam aderir a essa proposta. A adesão não é obrigatória. Atualmente, existem 14,3 mil alunos de Medicina no Fies. A inadimplência média do programa, para todos os cursos, é de 23%.
A proposta é dada como aceita dentro do governo, já que conta com “extrema simpatia” do presidente Lula. Ainda falta, no entanto, encerrar as negociações com a equipe econômica.
“São recursos que a União deixa de receber”, lembra o secretário de Ensino Superior do MEC, Ronaldo Mota. “Mas, neste momento, pode ser mais importante a troca por educação e saúde.”
Um dos detalhes a decidir, por exemplo, é se o programa para professores seria para todas as áreas ou, dada as limitações financeiras, concentrado em matemática, física, química e biologia, disciplinas em que o déficit de professores é grave. Também não estão definidas quantas vagas seriam oferecidas, se todas as necessárias ou apenas um número limitado por ano, e quanto tempo os estudantes teriam que trabalhar para quitar seu empréstimo.
O futuro médico ou professor não trabalhará de graça. Na verdade, ganhará duas vezes: um salário, pago pelas prefeituras ou governos estaduais, e a quitação do seu empréstimo. Os candidatos terão que cumprir pelo menos 20 horas semanais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

20 de Março – LITERATURA INFANTIL – UM BOM COMEÇO

março 20, 2008

Um mundo de histórias e boas lições
Ao apresentar um clássico da literatura infantil para seu filho, você o estará ajudando a tomar gosto pelos livros e também a lidar com seus medos e dificuldades
Que os livros são a maior fonte de conhecimento ninguém discute. Mas as historinhas infantis também são úteis na formação das crianças. Nas entrelinhas dos clássicos constatamos dicas incríveis de como lidar com o ciúme, com a dificuldade em fazer amigos e assim por diante. Recheie as prateleiras do quarto do seu filho com boa literatura e aproveite essas lições (vale passar na biblioteca do bairro!). Confira os títulos premiados pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e as indicações das pedagogas Maria Grupi e Eliana de Barros Santos, de São Paulo.

livro-i-ninguem.jpg

NINGUÉM É IGUAL A NINGUÉM
Regina Otero e Regina Rennó
(Editora do Brasil, 32 páginas, R$ 18)
Tim descreve como é a rua onde mora e as características de seus amigos. O Paulinho que é gorducho, a Joana que é negra e o Davi, ruivo, que todos chamam de cabeça de fogo. Depois disso é hora de a criança interagir e, com os desenhos, mostrar suas principais  características, de seus amigos e de seus familiares.
O QUE ENSINA: de forma divertida mostra como é legal ser quem você é. Também incentiva o pequeno leitor a respeitar as diferenças entre as pessoas.
FIQUE ATENTA: à parte em que a criança é convidada a desenhar, pintar e escrever. Não dá para absorver a mensagem do livro sem essa participação intensa.

livro-ii-marcelo.jpg

MARCELO, MARMELO, MARTELO E OUTRAS HISTÓRIAS
Ruth Rocha
(Editora Salamandra, 60 páginas, R$ 16,80)
Em O Dono da Bola, a autora conta a história de um menino chamado Carlos Alberto, amigo do Marcelo, que era o único da turma que tinha uma bola de futebol de verdade – os outros garotos brincavam com bolas feitas de meia. Para que todos pudessem aproveitar a tal pelota, Carlos Alberto ditava as ordens no campo.
O QUE ENSINA: dividir o que se tem com as pessoas que realmente gostamos torna a vida mais fácil.
FIQUE ATENTA: ao trecho em que o time resolve não obedecer às ordens de Carlos Alberto. O menino fica sozinho e vê que a melhor saída para reconquistar seus amigos é mudar de atitude.

livro-iii-a-roupa-nova.jpg

A ROUPA NOVA DO IMPERADOR
Hans Christian Andersen
(Editora Martins Fontes, 25 páginas, R$ 28,50)
A obra narra a história de um imperador muito vaidoso e que só usava roupas novas.

20 de Março – EDUCAÇÃO – TAREFAS DOS FILHOS

março 20, 2008

menino-educacao.jpg

Mãe, me ajuda com a lição?
Saiba por que às vezes é melhor não tirar as dúvidas do seu filho em relação aos deveres da escola
A lição de casa é uma etapa fundamental no aprendizado de crianças e adolescentes. “É graças ao trabalho individual que a informação se transforma em conhecimento”, explica Norma Ragghianti, diretora pedagógica da Escola Internacional de Alphaville. Nesse momento, o estudante aprende a resolver os exercícios quando está sozinho.
Os pais podem participar, mas não devem resolver a tarefa pelo filho. “O que mais ajuda é perguntar, todos os dias, o que a criança aprendeu na escola. Esse exercício de narrativa a faz relembrar, de forma natural, o que aconteceu em sala de aula”, completa Fabiana Litrenta, coordenadora de professores do ensino fundamental da Escola Internacional de Alphaville. Confira as recomendações dos especialistas para não interferir de forma negativa no aprendizado de seus filhos.
Se surgirem dúvidas…
O LIMITE DA AJUDA
Não há nada de errado em colaborar com a criança. Busque a resposta com ela, mas não faça o trabalho por ela.
TELEFONAR PARA UM AMIGO
Talvez, seu filho continue com dúvidas mesmo depois de buscar a resposta no material didático. Então, que tal seu filho telefonar para um colega e pedir ajuda? Segundo Fabiana, essa é uma solução excelente. “Eles vivenciaram a aula juntos e falam a mesma língua.”
SE A DÚVIDA PERSISTIR…
Deixar algum exercício em branco, sem resposta, não é falta grave. Esgotadas as alternativas para resolver a questão, é até bom que o aluno volte à escola com a dúvida, para que o professor possa explicar novamente aquele ponto. “Se os pais resolvem as tarefas, não temos como saber quais são as dificuldades dos alunos”, destaca Fabiana.
A lição de casa é uma etapa fundamental no aprendizado de crianças e adolescentes. “É graças ao trabalho individual que a informação se transforma em conhecimento”, explica Norma Ragghianti, diretora pedagógica da Escola Internacional de Alphaville. Nesse momento, o estudante aprende a resolver os exercícios quando está sozinho.
Os pais podem participar, mas não devem resolver a tarefa pelo filho. “O que mais ajuda é perguntar, todos os dias, o que a criança aprendeu na escola. Esse exercício de narrativa a faz relembrar, de forma natural, o que aconteceu em sala de aula”, completa Fabiana Litrenta, coordenadora de professores do ensino fundamental da Escola Internacional de Alphaville. Confira as recomendações dos especialistas para não interferir de forma negativa no aprendizado de seus filhos.
Se surgirem dúvidas…
O LIMITE DA AJUDA
Não há nada de errado em colaborar com a criança. Busque a resposta com ela, mas não faça o trabalho por ela.
TELEFONAR PARA UM AMIGO
Talvez, seu filho continue com dúvidas mesmo depois de buscar a resposta no material didático. Então, que tal seu filho telefonar para um colega e pedir ajuda? Segundo Fabiana, essa é uma solução excelente. “Eles vivenciaram a aula juntos e falam a mesma língua.”
SE A DÚVIDA PERSISTIR…
Deixar algum exercício em branco, sem resposta, não é falta grave. Esgotadas as alternativas para resolver a questão, é até bom que o aluno volte à escola com a dúvida, para que o professor possa explicar novamente aquele ponto. “Se os pais resolvem as tarefas, não temos como saber quais são as dificuldades dos alunos”, destaca Fabiana.